Referências

Legenda

ABNT (1999). Elaboração e apresentação de projeto de reabilitação de áreas degradadas pela mineração. NBR 13030, Associação Brasileira de Normas Técnicas, Rio de Janeiro, RJ, 5p.

ALLÈGRE, C.J.; SCHNEIDER, S.H. A intricada Evolução da Terra. In: Scientific American. Terra Mutante: origem e evolução do nosso planeta. São Paulo. Dueto Editorial, 2013. p. 8-23.

ALMEIDA Jr. M.V.C. Mineração e Dinâmica da Paisagem. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 42p.

ARAÚJO, M.H.S. de. Fundamentos de geoprocessamento aplicados à mineração. Cruz das Almas: UFRB, 2017. 58p.

BARROS, J.N. Legislação ambiental aplicada à mineração. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 86p.

BOFF, Leonardo. Nova era: a civilização planetária. 3a ed. São Paulo: Ática, 1998, p. 73.

BOMFIM, M. R. Avaliação de impactos ambientais da atividade Mineraria. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 46p.

CARVALHO, L.M. de; RAMOS, M.A.B. Geodiversidade: adequabilidades / potencialidades e limitações frente ao uso e à ocupação. In: CARVALHO, L.M. de; RAMOS, M.A.B. Geodiversidade do estado da Bahia. Salvador. CPRM, 2010. p. 75 -126.

CARVALHO, E.M. DE; PINTO, S. DOS A.F.; FACINCANI, E.M. Aplicações do geoprocessamento para atualização de dados geológicos. OBSERVATORIUM: Revista Eletrônica de Geografia, v.6, n.17, 2014. p. 74-90.

CARVALHO, E.K.M. de A.; SILVA, M.M.P. da; CARVALHO, J.R.M. de. percepção ambiental dos diferentes atores sociais de Vieirópolis, PB. João Pessoa. Qualitas. V.13, n. 1. 2012. P. 1-11.

CHOO, C.W. Environmental scanning as information seeking and organizational learning. Toronto. Information Research, V.7, n.1. 2001.

DAMASCENO, G.C. Geologia, mineração e meio ambiente. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 64p.

DIAS, F.F. Percepção da população em relação as empresas de lavra e beneficiamento de Bauxita no município de Poços de Caldas, MG. Campinas, UNICAMP, 2007. (Tese de Doutorado).

DIXON JR., R.D. Homo Sapiens Versus The Internet. 2017. Disponível em: https://hackernoon. com/homo-sapiens-versus-the-internet-57fa096c09ab. Acesso em março de 2018.

DONADELLI, F. et al. Responsabilidade social na mineração e o ciclo político local: o caso da Alcoa, em Juruti (Pará). RURIS - Revista do Centro de Estudos Rurais - UNICAMP, v. 10, n. 1, 30. 2016.

ECODEBATE. No Pará, a guerra secreta pela bauxita. 2018. Disponível em: https://www. ecodebate.com.br/2016/08/25/no-para-a-guerra-secreta-pela-bauxita. Acesso em março de 2018.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009. 1986p.

LANI, J. L. ; CUNHA, A.M. ; MARCATTI, B. A. ; BURAK, D. L. ; ARAUJO, E. A. Percepção ambiental: base para o uso dos recursos naturais em moldes sócio-ambientalmente sustentáveis. In: TOMAZ, M.A.; AMARAL, J.F.T. do; OLIVEIRA, F.L. de; COELHO, R.I. (Org.). Tópicos especiais em produção vegetal IV. 1ed. Alegre, ES: CAUFES, 2013, v. 1, p. 643-666.

LOVELOCK, J. A vingança de Gaia. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2006a. 160p.

LOVELOCK, J. Gaia: cura para um planeta doente. São Paulo: Cultrix, 2006b. 192p.

MARIANO, C. Ecologia del Suelo. Disponível em: https://es.slideshare.net/Carlosmariano/ ecolcoga-de-suelos. 2009. Acesso em março de 2018.

MARIN, A.A. Pesquisa em educação ambiental e percepção ambiental. São Paulo. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 3, n. 1, 2008. p. 203-222.

MUGGLER, C.C.; RESENDE, M.; CARDOSO, I.M.; PINTO, O.C.B.; LOPES, L.M. Geologia e Mineralogia. SOL 114. Apostila. Imprensa Universitária -UFV. 1997.83p.

MUSEU GEOLÓGICO DA BAHIA. Museu virtual. Disponível em: http://museugeologicodabahia.blogspot. com.br/.2010. Acesso em março de 2018.

NACIF, P.G.S.; COSTA, L.M. da; SAADI, A.; FERNANDES FILHO, E.I.; KER, J.C.; COSTA, O.V.; MOREAU, M.S. Ambientes naturais da bacia hidrográfica do rio Cachoeira. In: PRADO, P.I.; LNDAU, E.C.; MOURA, R.T.; PINTO, L.P.S.; FONSECA, G.A.B.; ALGER, K. (Orgs.) 2003. Corredor de Biodiversidade da Mata Atlântica do Sul da Bahia. Publicação em CD-ROM, Ilhéus, IESB/CI/CABS/UFMG/ UNICAMP.

NASA. Earth Observatory. Disponível em: https://earthobservatory.nasa.gov/IOTD /view.php?id=885. Acesso em março de 2018.

NASCIMENTO, M. Amazônia ganha 230 mil hectares de áreas protegidas. Disponível em: http://www. brasil.gov.br/meio-ambiente/2016/12/amazonia-ganha-230-mil-hectares-de-areas- protegidas/21-12- amazonia-ganha.jpg/view. Acesso em março de 2018.

PINTER, N.; BRANDON, N.T. Como a erosão constrói montanhas. In: Scientific American. Terra Mutante: origem e evolução do nosso planeta. São Paulo. Dueto Editorial, 2013. p. 64-75.

PRESS, F.; SILVER, R.; GROTZINGER, J. JORDAN, T.H. Para entender a Terra. Porto Alegre, Bookman, 2006. 656p.

PRIETO, V.M. Los recursos energéticos en la actualidad. Disponível em: http://cmcmotivaos. blogspot.com.br/2011/11/los-recursos-energeticos-en-la.html. Acesso em: março de 2018.

RAMOS, M.A.V. Controle e monitoramento ambiental na mineração. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 45p.

RESENDE, M; REZENDE, S.B.; RESENDE, M.M.; COELHO, M.M.; CUNHA, A. de M.; LANI, J.L. Fichas para reflexão: interpretando o que vê, recordando o que sabe. Viçosa: NEPUT / UFV, no prelo.

RESENDE, M.; CURI, N.; REZENDE, S.B.; CORRÊA, G.F.; KER, J.C. Pedologia: base para distinção de ambientes. Lavras: Editora UFLA, 2014, 378p.

RESENDE, M.; LANI, J. L. ; FRANCELINO, M. ; REZENDE, S.B. de. Questões ambientais – Brasil (CD ROOM). 1. ed. Viçosa – MG: NEPUT / UFV, 2003. v. 1.

RESENDE, M.; LANI, J. L.; CERQUEIRA, A. F.; RESENDE, M.M. Bacia do rio Itapemirim: aspectos ecológicos. Secretaria de Assuntos Estratégicos. Brasília, EMCAPA. 1993a. 46p.

RESENDE, M.; LANI, J. L.; FEITOZA, L.R. Assentamento de pequenos agricultores no Estado do Espírito Santo: ambiente, homem e instituições. Vitória, EMCAPA/UFV. 1993b. 152p.

RESENDE, M; COUTO, E.G. Fichas para reflexão. Cuiabá, 2015.

RIBEIRO, A. Serra dos Carajás. 2003. Disponível em: https://www.infoescola.com/geografia/ serra-dos-carajas/. Acesso em: março de 2018.

SANTOS, J.A.G. Recuperação e reabilitação de áreas degradadas pela mineração. Cruz das Almas. UFRB, 2017. 44p.

SANTOS, M. Por uma geografia nova. São Paulo, Edusp. 2008a. 285p.

SANTOS, M. Espaço e método. São Paulo, Edusp. 2008b. 118p.

SANTOS, H.G. dos; HOCHMÜLLER, D.P.; CAVALCANTI; A.C.; RÊGO, R.S.; KER, J.C.; ACHÁ PANOSO, L.; AMARAL, J.A.M. do. Procedimentos normativos de levantamentos pedológicos. Brasília, EMBRAPA/SPI, 1995. 115p.

SCHIMADA, H. Recursos Minerais: natureza, extração, importância, usos e implicações ambientais. Disponível em: https://pt.slideshare.net/igeologicosp/recursos-minerais-natureza-extrao-i-shimada- 2012. Acesso em março de 2018.

SILVA, C. F. A; VALADÃO, R.C. Relevo antropogênico: mineração de ferro e a interferência humana. 1o Ed. Curitiba: Appris. 2016.

SILVA, M. M. P. da; LEITE, V. D. Estratégias para Realização de Educação Ambiental em Escolas do Ensino Fundamental. Rev. eletrônica Mestrado em Educação Ambiental, v. 20, 2008.

SOCIEDADE MARMÍFERA BRASILEIRA. Granito Azul Bahia”. 2017. Câmara Ítalo-Brasileira de comércio e indústria do Rio de Janeiro. Disponível em: http://camaraitaliana.com.br/ associados/sociedade-marmifera-brasileira/. Acesso em março de 2018.

TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M.C.M.; FAIRCHILD, T.R.; TAIOLI, F. Decifrando a Terra. São Paulo. Oficina de Textos. 2009.2ed. 2003. 623p.

VASCONCELLOS FILHO, P. de. Análise ambiental para o planejamento estratégico. Rio de Janeiro. Rev. Adm. Emp. 19(2): 115-127. 1979.

VIEIRA, A.C. Samarco protocola Licença de Operação. Revista Mineração e Sustentabilidade. 2017. Disponível em: . Acesso em: março de 2018.

ZHOURI, A. et al. O desastre da Samarco e a política das afetações: classificações e ações que produzem o sofrimento social. Ciência e Cultura, v. 68, n. 3, p. 36–40, 2016.